"Todo Mundo pode fazer História, só um grande homem pode Escrevê-la"

quinta-feira, 5 de maio de 2011

De (1919) Kansas City à (1980) Rio de Janeiro

Postado por Neto 15:27 | 1 comentário


Um acidente aconteceu numa caçada em 1919, em Kansas City, Missouri, Estados Unidos da América, deixando sem pai uma família na qual Louis Lower era um menino entre 13 e 19 anos. Após o falecimento de seu pai, Louis Lower transferira a figura de seu pai ao amigo da família, o Maçom Frank Sherman Land, com o qual buscava constantemente conselhos e orientações, a quem pediu seu primeiro emprego.

Após constantes conversas com Lower, Frank Land reconheceu que o desejo do rapaz de atenção paternal não era limitado somente a ele, mas que se estendia a inúmeros outros jovens que tivessem pais ou não. Surgiu para Land, então, a idéia de formar uma Organização Juvenil que proporcionasse e devido treinamento e guia para uma melhor cidadania, uma organização de jovens que proporcionasse elevados valores patrióticos.

Tio Land disse a Lower o seu pensamento, solicitando sua ajuda para formar um clube de rapazes, pedindo que ele convidasse alguns amigos de Escola Secundária para uma reunião. Eles iriam organizar o clube. Foi em fevereiro de 1919 que Louis Lower e oito de seus amigos se reuniram num templo Maçônico com Frank Sherman com a finalidade de formar uma nova organização de jovens. Nunca nenhum deles poderia sonhar, menos ainda Frank, que no espaço de 40 anos o Movimento estaria ativo em 14 países e territórios tendo assim iniciado centenas de milhares de rapazes e algumas personalidades mundiais.

A inspiradora idéia de formação de um clube jovem de cunho educacional foi muitíssimo bem recebida por todos os nove rapazes. Surgiu então a questão de como chamar essa nova organização. Frank citou vários nomes famosos, porém nenhum agradava os rapazes de modo especial. Um dos jovens sugeriu que por estarem num Templo Maçônico, alguma figura histórica ligada à maçonaria deveria ser lembrada.

Aceita, por uma determinação do destino, a sugestão tomou corpo quando Land mencionou o nome de Jacques DeMolay. Este nome cativou imediatamente cada um dos jovens. Quando eles ouviram que DeMolay fora o último Grão Mestre dos Cavaleiros Templários e morrera como um Mártir da lealdade e tolerância, eles unanimemente concordaram que DeMolay seria a escolha, usando a pronúncia inglesa. Em 18 de Março de 1919, os noves jovens com 24 de seus amigos reuniram-se novamente no Templo Maçônico, organizando oficialmente a Ordem DeMolay, com o número ideal de 33 jovens. Foi somente 20 anos mais tarde que Frank Land descobriu que 18 de Março era aniversário de morte de Jacques DeMolay, em 1314.

Na segunda reunião, Louis Lower foi o primeiro a fazer a promessa DeMolay sobre a Bíblia que Land havia recebido em St. Louis quando tinha 12 anos, por ter freqüentado a Escola Dominical durante 10 anos consecutivos. Os primeiros oito DeMolays prestaram uma homenagem a Lower. Tio Land sempre dava sugestões valiosas quando precisavam nas reuniões, em especial em uma das primeiras reuniões, em que alguém sugeriu limitar o número de integrantes a 75. "Tio Land" explicou que seria egoísmo pois a organização deveria ser boa para todos, não para alguns. As palavras de Tio Land pareciam ter atuado como a luz verde, pois em menos de 1 ano, o Capítulo "Mãe do Mundo", em Kansas aumentou para o número de 3000 jovens iniciados.

O Ritual DeMolay foi escrito pelo Maçom e Jornalista Frank Marshall na primavera de 1919, e permanece inalterado até hoje, exceto por poucas palavras. A organização tornou-se também bem sucedida e conhecida por serviços de caridade, treinamento da cidadania e atividades sociais sadias. A Ordem DeMolay realmente assegurou-se uma história imortal de sucessos, através de seu trabalho para treinar líderes e garantir um mundo melhor para o futuro

História da Ordem DeMolay no Brasil

No dia 16 de agosto de 1980, foi fundado o Capítulo Rio de Janeiro em solene cerimônia, na sede do Supremo Conselho do Rito Escocês Antigo e Aceito. Pela primeira vez na história, os Graus da Ordem DeMolay foram conferidos na América do Sul, por um grupo de Maçons do Rito Escocês Antigo e Aceito, presidindo como Mestre Conselheiro e Oficial Instalador Alberto Mansur, com a Iniciação de 63 jovens. Posteriormente as Cerimônias de Iniciação e Elevação do Ritual, que o ritual foi traduzido para o português por Alberto Mansur, ocorreu, na parte da tarde, a Posse dos Oficiais do Capítulo, ocupando o cargo de Mestre Conselheiro, o Irmão Jorge Alberto Mansur. Na eventual ocasião, foi celebrada a Instalação do Conselho Consultivo, sendo o primeiro presidente Luis Fernando Rodrigues Torres.


Logo após, os trabalhos desta sessão histórica foram encerrados. Assim, aquele dia de inverno, foi o sublime marco inicial, como o Sol despontando no horizonte; agraciando a juventude brasileira com a tão almejada fundação da Ordem DeMolay em nossa pátria.


Neste ano estamos completando 31 anos de fundação, data histórica que demonstra a força e o crescimento que a Ordem DeMolay e principalmente do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para a República Federativa do Brasil que teve a missão de revolucionar a administração da Ordem DeMolay brasileira. A maior Ordem DeMolay do Mundo.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Caso alguém ainda tenha dúvidas:

Postado por Neto 19:42 | Nenhum comentário

 Quem possui Capítulos nas 27 Unidades Federativas de nossa Nação?
SCODRFB

Quem possui reconhecimento oficial das 27 Grandes Lojas brasileiras e conta com o apoio de Lojas de todas as outras Obediências?
SCODRFB

Quem possui Sede Própria?
SCODRFB

Quem tem o reconhecimento oficial e licença do DeMolay International?
SCODRFB

Quem participa todos os anos do Congresso Internacional da Ordem DeMolay?
SCODRFB

Quem recebe representantes internacionais em seus eventos todos os anos?
SCODRFB

Quem é regular internacionalmente, de forma que seus jovens podem visitar Capítulos em todo o mundo?
SCODRFB

Quem possui reconhecimento oficial e apoio do Supremo Conselho do Grau 33 do REAA da Maçonaria para a República Federativa do Brasil, único reconhecido por todos os demais Supremos regulares do mundo e que é o 3° maior Supremo Conselho do mundo?
SCODRFB

Quem possui reconhecimento oficial e apoio do Supremo Grande Capítulo de Maçons do Real Arco do Brasil, filiado ao General Grand Chapter of Royal Arch Masons International?
SCODRFB

Quem só reconhece graus regulares, não adotando graus espúrios?
SCODRFB

Quem possui os rituais e manuais fiéis aos originais, sem adaptações e enxertos?
SCODRFB

SCODRFB, o único que possui o reconhecimento oficial de mais de 60% das Obediências Simbólicas do Brasil e mantém estreita amizade com as demais; que tem o reconhecimento oficial dos Supremos do Rito Escocês e do Real Arco reconhecidos internacionalmente; que está presente em todo o Brasil e seus membros podem estar presentes em todo o mundo. SCODRFB: sinônimo de reconhecimento e regularidade.

domingo, 10 de abril de 2011

Por que ser um DeMolay?

Postado por Neto 15:08 | Nenhum comentário


A seleção na Ordem faz da sua admissão uma prova de bom caráter e idoneidade moral.


Você pertencerá a uma fraternidade mundial, da qual cerca de 3 milhões de jovens   se tornaram membros.


Sua qualidade como membro, automaticamente, o recomendará aos líderes de sua comunidade como alguém ideal para a companhia e atividades.


Você terá, imediatamente, um laço forte de interesses mútuos com centenas de outros DeMolays em cidades e localidades do mundo.


Seja nas forças armadas, no colégio ou simplesmente em uma viagem, onde quer que você vá. encontrará sempre amigos prontos ajudá-los em qualquer eventualidade.


Uma grande variedade de ações do capítulo, como atividades sociais, eventos cívicos, esportes e muitas outras áreas, proporcionará a você ocupações de valor em seu espaço livre.


Seu ingresso proporcionará a você um ambiente e relacionamento agradáveis.

Os ensinamentos e ideais DeMolays ajudaram a torná-lo melhor filho, melhor cidadão e melhor amigo.


Que diversos Seniors DeMolays ( Membros que completam 21 anos) entre eles John Wayne, Walt Disney, Fred Mac-Murray, Bill Clinton, Bob Mathias, Senadores, Deputados, Generais tornaras-se líderes em suas atividades profissionais com uma grande ajuda da Ordem DeMolay.


Os benefícios que você receberá da Ordem DeMolay não pode ser medidos em reais ou centavos, porém, devem ser medidos em características e qualidades de caráter que permanecerão com você por toda a vida.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

O iniciático

Postado por Neto 11:09 | Nenhum comentário

Qualquer que tenha sido o motivo que o levou a buscar o ingresso em nossa irmandade tenha certeza que, de princípio, você não compreendeu a possibilidade de progresso espiritual que lhe foi aberta.

A Ordem DeMolay é uma instituição fraternal e iniciática, cujo real segredo encontra-se escondido entre rituais. Nunca sendo violado ou compreendido em sua totalidade, por aqueles que não buscam a verdade com perseverança e sinceridade. Irmão, nossa ordem é uma linda filosofia de vida, mergulhada em lindas alegorias e simbologias. Mas infelizmente muitos falharam em entender a alegoria, e raros foram os que estudaram sua simbologia.

A Ordem DeMolay não se revela totalmente aos seus membros, mas só para aqueles que no desejo de compreenderem a si próprios, se doam inteiramente para se tornarem verdadeiros DeMolays. Onde o Iniciado em nossa Ordem, deixa de seguir nossas sagradas virtudes do Amor Filial, Reverência pelas coisas Sagradas, Cortesia, Companheirismo, Fidelidade, Pureza e Patriotismo, para se tornar tais virtudes. Se tornando um símbolo vivo de como a verdadeira iniciação pode transformar vidas.
Aquele que passa por nossa Ordem tratando-a como se fosse qualquer clube profano, não chegará perto de conhecê-la. Mas se pelo esforço e observação, o iniciado reconhece a beleza, grandiosidade, e o privilégio de pertencer em nossa Ordem, e se a seguir com absoluta lealdade e pureza, ela então se revelará como uma flor a desabrochar, mostrando seus verdadeiros segredos até então ocultos.

Mas do ponto de vista exterior, qualquer que seja o grau que possamos atingir para compensar nossos anseios de progresso, tais como DeMolay, Cavaleiro, Ébano, Chevalier, dificilmente poderemos superar o grau de Iniciático. Na finalidade iniciática da Ordem, somos e continuaremos sendo sempre iniciáticos.
Ser um iniciático ativo e inteligente, que realmente faz todos os esforços para progredir de forma sábia pelos caminhos que são apresentados, é sem dúvida melhor que ostentar os mais elevados graus, porém permanecendo na ignorância dos princípios sublimes de nossa Ordem.

Não devemos ter pressa para alcançarmos outros graus, pois o grau pelo qual somos reconhecidos de maneira externa, é sempre superior ao grau de evolução que conseguirmos alcançar interiormente. Tendo isto em mente, compreender de maneira efetiva o significado de nossos símbolos e alegorias, que são a alma de nossa fórmula iniciática, procurando colocar em prática seus ensinamentos diariamente, é muito melhor que sairmos prematuramente deste grau inicial, desprezando-o, sem tê-lo compreendido.

O estado de Iniciático se refere a todos aqueles que estão iniciando sua jornada. Quando nossa mente está aberta, e a vontade de progredir moralmente e espiritualmente, caracteriza as qualidades do iniciático, e o distingue dos forasteiros de Ordem.
No estado de forasteiro, você querido leitor, procurava uma maneira de progresso, uma aspiração superior. E provavelmente se encontrava (se ainda não se encontra), sufocado pela vida material, que converte os homens em completos escravos de seus vícios, de seus Egos, de suas necessidades e de suas paixões. Agora como DeMolay, lhe foi entregue diversas maneiras de enfrentar esses vícios e superar suas limitações. Podendo despertar todo o potencial que se encontrava adormecido dentro de ti.

Mas assim como a ferramenta não faz o carpinteiro, você não poderá se considerar um verdadeiro DeMolay, caso não coloque em prática todos os ensinamentos ocultados de maneira proposital em nosso ritual. Tirando proveito de todas as experiências e ensinamentos que se encontram, agora, a sua total disposição. Caso você reconheça isto, você terá a primeira chave para que seja possível tornar-se um DeMolay. No mais puro e verdadeiro sentido desta palavra.

Nossa vida deve ser um eterno aprendizado, onde tudo que encontrar pelo caminho, sirva como valioso material para a construção de nosso Templo interior, edifício simbólico de nosso progresso. Caso os materiais errados sejam usados para sua edificação, no primeiro abalo, nosso Templo ruirá, e recomeçaremos tudo do zero. Porém, se os materiais corretos forem empregados, nada poderá nos abalar. Então nos tornaremos nosso mais perfeito santuário.

Irmão, perceba que agora lhe foi entregue os materiais corretos, para que você se torne o construtor de seu próprio destino. Emprega-os com sabedoria, e a cada instante que se passar, coloque um tijolo a mais em seu Templo.

Perceba que tudo é bom em sua essência, e que tudo pode ser utilizado construtivamente para o bem. Mesmo que em algumas vezes, isto seja apresentado sob a forma de uma experiência desagradável, de uma desgraça, de uma dificuldade ou um obstáculo. Aqui se constitui o programa que todo verdadeiro DeMolay deve se esforçar para realizar diariamente. Encontrar nas próprias diversidades e incertezas da vida, o desejo incessante de transformar o mundo ao seu redor, num lugar onde Amor Filial, Reverência pelas coisas Sagradas, Cortesia, Companheirismo, Fidelidade, Pureza e Patriotismo, se tornem algo comum para todos os homens. E esta mudança deve ocorrer primeiramente, e principalmente, dentro de nós mesmos.

Na iniciação somos mergulhados numa simbólica escuridão, que representa nossa falta de conhecimento sobre a vida, e principalmente, nossa falta de conhecimento sobre nós mesmos. A partir do momento que suas vendas foram retiradas simbolicamente, é seu dever retirar as vendas dos outros homens. Apontando-lhes o caminho do bem e do Amor, sendo um exemplo vivo a ser seguido por todos. E só conseguiremos mudar o mundo se, primeiramente, conseguirmos transformar a nós mesmos. É nisto que está baseada a filosofia da Ordem DeMolay, tornar-se um líder, um exemplo a ser seguido por aqueles que se encontram perdidos. Da mesma forma que você Irmão, se encontrava anteriormente. Você se lembra do que jurou fazer como DeMolay? Recomendo que antes de dormir, faça a leitura de seu juramento.

Aprenda o que é a Ordem em sua essência, quais foram suas origens, o significado da Iniciação simbólica pela qual fomos recebidos, a filosofia iniciática da qual provêm o ritual. E depois de ter aprendido tudo isso, coloque em prática seus ensinamentos, para que, enfim, você consiga transformar a si mesmo em um verdadeiro DeMolay.
Abraços Fraternos


André Bethiol Victoria

http://www.oiniciatico.blogspot.com/

domingo, 3 de abril de 2011

Vídeo - Descubra o Brasão da Nossa Ordem

Postado por Neto 00:14 | 2 comentários

Saudações Irmãos/Tios.
Produzi este vídeo com a finalidade de promover e estimular mais nossos estudos ritualisticos, que é sempre muito importante para nosso crescimento dentro da Ordem.

Colaborem também, primeiramente clicando em Gostei logo embaixo do vídeo, e claro, repassando a todos seus contatos".

Saudações em DeMolay.

Caio
http://www.youtube.com/user/caiohpl

sábado, 2 de abril de 2011

O Sênior DeMolay

Postado por Neto 00:00 | 3 comentários

Ao atingir a idade de 21 anos, o DeMolay deixa de ser considerado como Ativo e passa a fazer parte do grupo de DeMolays Seniores. Esta transição é formalmente marcada pela Cerimônia de Maioridade, que pode ser realizada em uma reunião pública ou fechada.

Muito embora nossa regulamentação preveja a possibilidade do Sênior DeMolay atuar ainda como Tesoureiro ou Escrivão, na ausência de outros membros do Capítulo aptos, o Sênior DeMolay já não tem mais direito a voto nas discussões Capitulares, somente possuindo o direito de voz – ou seja, de expressar sua opinião quando a palavra lhe for concedida.

Sendo assim, o universo do Sênior DeMolay é completamente diferente do universo do DeMolay Ativo, ainda que tenha pontos em comum. Enquanto os Ativos existem somente na faixa entre 12 e 20 anos, os Seniores começam a partir dos 21 anos e seguem até o término de suas vidas.

Por consequência, os interesses dos Seniores, suas atividades e mesmo sua disponibilidade para frequentar reuniões são diferentes dos jovens que compõem o quadro de Ativos de seus Capítulos de origem. É importante que isso fique bastante claro para todos os membros de nossa Ordem – um DeMolay Sênior não possui as mesmas obrigações, os mesmos deveres ou os mesmos direitos que um DeMolay Ativo. De forma resumida, Sênior não é Ativo.

A pergunta que se segue, naturalmente, é: o quê o Sênior é, afinal? Literalmente, um Irmão mais velho. O Sênior, por definição, já foi Ativo, já ocupou cargos no Capítulo, já participou de suas Comissões, seja como membro, seja como presidente. Ele pode aconselhar seus Irmãos Ativos com exemplos nascidos de sua experiência como DeMolay.

Fica visível nesse ponto uma enorme diferença entre os Seniores DeMolays e outro grupo participante da Ordem: os Tios Maçons. Enquanto nossos Tios Maçons auxiliam a partir de sua experiência de vida e dentro da Ordem Maçônica, os Seniores possuem a proximidade e a facilidade de comunicação oriunda do fato de serem DeMolays igualmente como os Ativos e, portanto, poderem se tratar em igualdade fraternal, ainda que o respeito sempre deva se manter.

No entanto, cabe aqui outra observação importante, sobre a natureza do ato de aconselhar. O Sênior deve estar disponível para os Conselheiros e para os demais Irmãos Ativos, sempre colocando sua experiência a serviço do Capítulo. No entanto, seus conselhos devem ser solicitados, nunca impostos. Um Sênior pode, dependendo da ocasião, oferecer seus conselhos, mas cabe ao DeMolay Ativo aceitá-los ou acatá-los.

Contudo, não é o papel de “conselheiro” que o Sênior tem o dever fundamental de cumprir; é o papel de modelo. Os Irmãos Iniciáticos recém-chegados ao Capítulo, quando se perguntarem o quê acontece quando alguém pratica as lições aprendidas dentro de nossas reuniões, especialmente as nossas Sete Virtudes Cardeais, vão direcionar seus olhares para os mais velhos presentes – exatamente os Seniores.

Se esses Seniores forem bons homens respeitáveis que ostentem a Coroa da Maioridade com a devida honra, os Iniciáticos terão maior confiança no rumo de suas vidas; no entanto, se os Seniores repetidamente agirem contra os princípios de nossa Ordem e contra seus juramentos, é inevitável que a dúvida e mesmo a descrença se instalem nos corações e nas mentes de nossos Irmãos mais novos.

Assim como o DeMolay é o exemplo para o Iniciático e o Cavaleiro para o DeMolay, o Sênior é o exemplo para os Ativos. Um Sênior comprometido, responsável e de reputação ilibada diz mais a favor de seu Capítulo do que qualquer discurso e qualquer Cerimônia Pública.

Não é porque o Sênior não é mais Ativo que seus juramentos perdem a validade – em realidade, os juramentos são perpétuos. Cada coisa que juramos deve ser seguida enquanto tivermos capacidade para afirmar “Eu sou um DeMolay”.

Porém, o Sênior não é um satélite, orbitando seu planeta; o Sênior não existe em função do DeMolay Ativo e tem suas próprias necessidades, seus próprios objetivos e sua própria forma de organização e atuação.

Por isso, foram criados os Colégios Alumni e as Associações Alumni estaduais e nacional – para congregar os Seniores e uni-los em ações de interesse comum.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Sois um DeMolay?

Postado por Neto 17:20 | Nenhum comentário



Só me lembrava daquela forte dor no peito.
Como viera eu parar ali?
O ambiente era familiar. Já estivera ali, mas... quando?
Caminhava sem rumo.
Pessoas desconhecidas passavam por mim, contudo, não tinha coragem de
abordá-las.
Mas... Espere, que grupo seria aquele reunido de roupa característica?
Lógico! Não estariam indo e vindo de uma festa...Não são evangélicos ou algo parecido. É claro! São Irmãos!
Aproximei-me do grupo. Ao me verem chegar interromperam a conversa.
Discretamente executei o sinal do Grau Iniciático , obtendo resposta.
A alegria tomou conta de mim. Estava entre amigos.
dentifiquei-me. Perguntei ansioso o que estava acontecendo comigo.
Responderam-me com muito cuidado e fraternalmente. Havia desencarnado.
Fiquei assustado; e a minha família, os meus amigos, como estavam?
Estão bem, não se preocupe; no devido tempo você os verá, responderam.
Ainda assustado, indaguei do motivo de suas vestes.
Um deles me informou que estavam encaminhando a uma sala Capitular.
Sala Capitular? Templo maçônico. Vocês têm um?
Sim, claro. Por que não?
Senti-me mais à vontade, afinal fui um Mestre Conselheiro, Ilustre
Comendador Cavaleiro e ainda por cima Grande Comendador Chevalier, e, com certeza receberei as honras devidas a minha posição. Pedi para
acompanhá-los, no que fui atendido.

Ao fim da pequena caminhada avistei o Templo. Confesso que fiquei abismado.
Sua imponência era enorme. As colunas do pórtico... Majestosas.
Nunca vira nada igual. Imaginei como deveria ser seu interior e como me
sentiria tomando parte nos trabalhos.
Caminhamos em silêncio.
Ao chegar ao salão de entrada verifiquei grupos de Irmãos conversando
animadamente, porém em tom respeitoso.
O que parecia ser o líder do grupo e que me acompanhava chamou um Irmão que estava adiante:
-- Irmão 2º Diácono! Acompanhai o Irmão recém-chegado e com ele aguarde.
Não entendi bem. Afinal, tendo realizado o toque dos graus capitulares e da cavalaria, e estando com as minhas comendas de PMC, PICC e PGCC, esperava, no mínimo, uma recepção mais calorosa.
Talvez estejam preparando uma surpresa à minha entrada; para um irmão com minhas credenciais não poderia se esperar nada diferente. Verifiquei que os Irmãos formavam o cortejo para entrada no Templo.
A distância, não pude ouvir o que diziam, contudo, uma luminosidade
esplendorosa cercou a todos. Adentraram silenciosamente no Templo. Comigo ficou o Irmão 2º Diácono.
De tanta emoção não conseguia dizer nada. O tempo passou... Não pude medir quanto.
De repente, a porta do Templo se entreabriu o Irmão Mestre de Cerimônias, encaminhando-se a mim, comunicou que seria recebido.
Ajeitei-me, estufei o peito, verifiquei se minhas comendas não estavam
desleixadas e caminhei com ele. Tremia um pouco, mas quem não o faria em tal circunstância?
Respirei fundo e adentrei ritualisticamente ao Templo.
Estranho... Esperava encontrar luxuosidade esplendorosa, muito ouro e
riqueza. Verifiquei, rapidamente, no entanto, uma simplicidade muito grande.
Uma luz brilhante, vinda não sabe de onde iluminava o ambiente.
Cumprimentei o Mestre Conselheiro da reunião na forma usual. Ninguém se levantou à minha entrada. Mantinham-se calados... Respeitosos.
Não sabia o que fazer... Aguardava ordens... e elas vieram não voz firme do Mestre Conselheiro.
-- [...]
Reconhecendo a necessidade do exame de proeficiência em tais
circunstâncias, aceitei respondê-lo. Estufei o peito, e com voz grave
respondi:
-- [...]
Aguardei seguro, a pergunta seguinte.
Em seu lugar o Mestre Conselheiro, dirigindo-se aos presentes, perguntou:
-- Os Irmãos aqui presentes o reconhecem como DeMolay, Cavaleiro e
Chevalier?
Assustei-me. O que era isso? Por que tal pergunta?
O silencio foi total.
Dirigindo-se a mim, o Mestre Conselheiro emendou:
-- Meu caro Irmão visitante, os Irmãos aqui presentes não o reconhecem como DeMolay!
-- Como não? Disse eu. Não vêem minha insígnia? Não verificaram através da [M] do [S] e do [T]. Ainda por cima realizei o sinal dos graus passados!
-- Sim, caro Irmão - retrucou solenemente o Mestre.
-- Contudo não basta ter ingressado na Ordem, ter diplomas ou insígnias para ser um DeMolay. É preciso antes de tudo, ter construído o "seu Templo" e escolhido certo ao cruzar a vida, infelizmente verificamos que tal não ocorreu com o Irmão.
-- Observamos, ainda, que apesar de ter tido todas as oportunidades de
estudo e de ter galgado os Graus, não absorveu seus ensinamentos.
Sua passagem pela ponte da indecisão foi efêmera e marcada por erros.
Não pude agüentar mais. Retruquei:
-- Como efêmera? Vocês que tudo sabem não observaram minhas atitudes fraternas?
Fui interrompido.
-- Irmãos, vejamos então sua defesa.
Automaticamente, desenhou-se na parede algo parecido com uma tela imensa de televisão e na imagem reconheci-me junto a um grupo de Irmãos, tecendo comentários desairosos contra a administração de meu Capítulo.
Em outras imagens vi-me virando as costas para um irmão que me
cumprimentava, com o qual eu não simpatizava e que eu não procurava
conservar laços de fraternidade.
Era tudo verdade.
Envergonhei-me.
Tentei justificar mas não encontrava argumentos.
Lembrei-me, então, de minhas ações beneficentes. Indaguei-os sobre tal.
E mudando a imagem como se trocassem de canal, vi-me colocando a mão vazia no tronco da solidariedade. Era fato e, costumeiramente, o fazia, por achar que a contribuição não seria bem usado...
Por não ter o que argumentar, calei-me e lágrimas de remorso brotaram-me nos olhos. Iniciei a retirar-me cabisbaixo e estanquei ao ouvir a voz autoritária e ao mesmo tempo fraterna do Mestre Conselheiro que estava presidindo a reunião.
-- Meu Irmão. Reconhecemos suas falhas quando no orbe Terrestre e na Ordem DeMolay, contudo, reconhecemos, também que o Irmão foi iniciado em nossos Augustos Mistérios e em nossa fraternidade que deveria moldar seu caráter...
-- Prometemos em suas Iniciações protegê-lo e o faremos. O Irmão terá a
oportunidade de consertar seus erros, afinal, todos nós aqui presentes já os cometemos algum dia.
-- Descanse nesse plano o tempo necessário e, ao voltar à matéria para novas experiências, nós o encaminharemos novamente a Ordem DeMolay. Sua nova caminhada, com certeza, será mais promissora e útil.
Saí decepcionado, mas estranhamente aliviado. Aquelas palavras pareciam ter me tirado um grande peso.
Acordei, sobressaltado e suando muito. Meu coração disparado.
Levantei-me assustado, mas com certa alegria no peito.
Havia sonhado!
Dirigi-me ao guarda-roupa, minha indumentária ali estava. Instintivamente, retirei da camisa as minhas comendas e as guardei em uma caixa.
Ainda emocionado e com os olhos molhados de lágrimas, dirigi-me à minha mesa e com as mãos trêmulas e cheio de uma alegria juvenil, retirei da gaveta o Ritual do Grau Iniciático.


Adaptado do Texto "Sois um Maçom?", por Mário Serra Ferreira, Senior DeMolay do Capítulo Anápolis nº 007.
Texto para DeMolays, mas com grande profundidade para todas as outras pessoas, basta interpretá-lo bem.

terça-feira, 15 de março de 2011

Perguntas Frequentes sobre a Ordem DeMolay

Postado por Neto 09:00 | Nenhum comentário

O que é a Ordem DeMolay?

A Ordem DeMolay é a maior organização fraternal juvenil do mundo, tendo como objetivo a formação de líderes e cidadãos para um futuro muito próximo, baseado no aprimoramento das "Sete Virtudes Cardeais": Amor Filial; Reverência pelas Coisas Sagradas; Cortesia; Companheirismo; Fidelidade; Pureza; Patriotismo.

A Ordem DeMolay é secreta?

Não. Toda nossa filosofia é pública e maravilhosamente exemplificada através das Cerimônias Públicas, abertas a todas as pessoas que não tenham algum vínculo filiatício à Ordem.
Nossos únicos segredos são nossas formas de reconhecimento, que garantem se a pessoa passou pelas nossas Cerimônias de Iniciação.

É preciso ser católico?

Não. Contudo, a Ordem DeMolay exige que todos seus membros professem uma fé, qualquer que seja. Em todas as nossas Cerimônias oramos para que o Pai Celestial nos ilumine e guarde nossos caminhos.
A Ordem DeMolay não é uma religião, nem uma seita, nem um culto. Também não tem a intenção de substituir seu lar, sua escola ou sua igreja, mas sim tem a intenção de complementá-los. Se você não estiver tendo bom "aproveitamento" nestes itens, a Ordem não vai poder te ajudar.

O que preciso fazer para me filiar?

Para ser membro da Ordem DeMolay é preciso ser um jovem do sexo masculino, de 12 a 21 anos de idade incompletos, que professe uma fé num Pai Celestial, que tenha uma vida ilibada moralmente, que não utilize produtos controlados e que esteja pronto para trabalhar para a comunidade e a fim de se aprimorar como líder e cidadão através dos ensinamentos da Ordem DeMolay. A Ordem DeMolay não é instituto correcional.
Se quiser, envie-nos um e-mail e te informamos qual o Capítulo mais próximo de sua casa!

Mas, afinal, quais são as atividades da Ordem DeMolay?

A Ordem DeMolay faz TUDO o que você gosta de fazer. Nossas atividades são programadas e dirigidas por nós mesmos. Se houver organização e interesse, qualquer evento é possível, mas sempre dentro dos limites sociais e legais.
Para colaborar nas nossas atividades há um grupo de adultos em cada Capítulo, Convento ou Corte Chevalier (cada uma das unidades da Ordem), chamado de Conselho Consultivo. O Conselho é composto de Maçons e DeMolays maiores de 21 anos, chamados de Seniores.

Entre as atividades prediletas dos DeMolays estão:
Festas;
Congressos em várias cidades, Estados e países;
Campanhas de arrecadação de alimentos, agasalhos, livros;
Visitas a hospitais infantis;
Palestras com vários profissionais em épocas de Vestibular;
Teatro;
Competições esportivas;
Gincanas etc.

Normalmente as reuniões são duas vezes por mês, normalmente Sábado ou Domingo, para não coincidir com atividades escolares.

Qual a origem da Ordem DeMolay e de seu nome?

Seu nome tem origem em Jacques DeMolay, último Grão-Mestre da Ordem dos Cavaleiros Templários, queimado vivo em 18 de março de 1314, na Ilha de Vert-Galant, Paris, França, pelo Rei Filipe, o Belo. DeMolay foi preso e torturado por 7 anos por se negar a quebrar seus votos de fidelidade e companheirismo.
A Ordem DeMolay foi fundada em 18 de março de 1919 pelo Maçom Frank Shermann Land, na cidade de Kansas City, Missouri, EUA. Originalmente haviam 9 membros, mas hoje, só no Brasil, são mais de 30.000, espalhados em mais de 800 Capítulos, 140 Conventos e 30 Cortes de Chevaliers.
A Ordem está no Brasil desde 1980, com a fundação do Capítulo Rio de Janeiro, o primeiro da América do Sul. Temos nosso Supremo Conselho independente, que inclusive já se expandiu para países vizinhos, como Bolívia e Paraguai. Além desses, muitos outros países contam com Capítulos DeMolay, tais como: Itália, Alemanha, Japão, Filipinas, Austrália, Panamá, Peru, Colômbia etc. Em breve, mais 3 países receberão Capítulos: Portugal, Rússia e Turquia.

quarta-feira, 9 de março de 2011

As Jóias de cada Cargo

Postado por Neto 01:48 | Nenhum comentário


Mestre Conselheiro: Corresponde a Dois Malhetes Cruzados. O malhete é um símbolo do Poder, análogo ao Martelo e ao Bastão, representa a autoridade da Assembléia, formada pelo Capítulo, centralizada no Mestre Conselheiro. O segundo Malhete na Insígnia é um símbolo oculto de elevada importância, representa a influência Superior dos "Mestres Ocultos", ao Mestre Conselheiro que se demonstra digno no exercício de seu cargo; quando isso acontece o Mestre Conselheiro torna-se um Foco de luz, irradiando uma Sabedoria que pode até surpreender a alguns, representando a tarefa dual de Dirigente e Sacerdote. Por outro ângulo, o segundo Malhete é também representativo do Patrocínio maçônico à Ordem DeMolay, simbolizando a União da Maçonaria à Ordem DeMolay, no preparo das novas gerações.

1º e 2º Conselheiros: Nas insígnias dos dois oficiais, encontramos um único malhete, simbolizando justamente a liderança, por serem os mesmos substitutos imediatos do Mestre Conselheiro, sem contudo, ainda, estarem aptos à receberem a Luz do Oriente diretamente.

Tesoureiro: Tendo como Insígnia a Chave, o Tesoureiro representa uma ligação Mística com o "Tesouro dos Templários". Sabemos que o Tesoureiro é o responsável pelo "Tesouro do Capítulo", suas finanças de um modo geral; por que então ter como Insígnia uma chave ao invés de um Cofre ou outro símbolo qualquer? A insígnia do Tesoureiro nos demonstra que o maior Tesouro não é o Dinheiro ou Bens Materiais, mas sim aquele mesmo que nos é legado pelos Templários, que não foi encontrado por Felipe "O Belo". A Chave é o símbolo da Iniciação e do Saber; Nas Escolas Tradicionais Antigas, a Chave continha significação muito importante: Recordava, aos candidatos à Iniciação, a obrigação do silêncio, e prometia aos Profanos a revelação de Mistérios profundos e quase impenetráveis, este é o verdadeiro Tesouro da Ordem DeMolay.

Escrivão (ou Secretário): Possui como Insígnia uma caneta, símbolo moderno análogo à Pena, utilizada pelos antigos na Arte da Escrita. Representa o Guardião sagrado da História, registrando os acontecimentos do presente, para serem utilizados como base e exemplo para o futuro.

Orador: Possui com Insígnia um Papiro. O Papiro era uma erva de cujas folhas se fazia o Papiro, material sobre o qual Sacerdotes Egípcios escreviam. Sendo o Papiro onde eram gravadas as máximas da Sabedoria, nas Grandes Civilizações da Antigüidade, ele é um símbolo do conhecimento. O Orador, como detentor do conhecimento de emprego do "Verbo", esotericamente possui grande Poder em suas palavras. Deve pois o Orador se pronunciar ao término de todas as Sessões, dando o seu parecer sobre a mesma.

Diáconos: Os Diáconos possuem cada um em sua Insígnia uma Ave. Em praticamente todas as Escolas Esotéricas o Religiões, as Aves apresentam significados simbólicos importantes. Para a Tradição hindu, elas representam Estados superiores do Ser Humano. No Egito, o Falcão simbolizava o Deus Hórus, e a Íbis, o Deus Thot. O Pássaro, como todo Ser Alado, é Emblema da espiritualidade e da Alma Humana. Nas Escolas Místicas, representam também hierarquias a auxiliar o homem. Na Alquimia, os Pássaros simbolizavam as Energias em atividade; voando em direção ao céu, expressam a fase alquímica da sublimação e a volatilização; descendo para a Terra, a fase da condensação e precipitação; os dois símbolos unidos numa mesma figura representam o Processo de Destilação. Os Pássaros, por sua capacidade de viver na Terra e nos Ares. Apresentam também um outro significado simbólico de Tipo Universal: são considerados "Mensageiros dos Deuses", intermediários capazes de estabelecer uma Ponta entre o Céu e a Terra. Sendo tidos como Mensageiros entre Planos superiores e o nosso, os Diáconos são de uma importância sacra no ritual; são os Diáconos que recolhem a Palavra do Dia no Grau Iniciático, e a Palavra de Passe no Grau DeMolay; é o 2º Diácono que verifica quem bate à porta do Templo Sagrado; é o 1º Diácono que conduz os Candidatos na Cerimônia de Iniciação; é o 1º Diácono que acende os Sete Candelabros representativos das Sete Virtudes Cardeais. São exatamente os Diáconos que procedem à ligação entre tudo o que é Humano e material, na Ordem , com os Princípios Sagrados da Filosofia de nossos Rituais.

Mordomos: Cada Mordomo possui como Insígnia uma Cornucópia. A Cornucópia é um símbolo dos Antigos, onde se levavam alimentos e, conforme uma lenda, por mais que se utilizassem os alimentos mais haveriam a serem utilizados. De acordo com o dicionário Aurélio, Mordomo é o administrador dos Bens de uma Casa, Irmandade, Confraria, etc... Os Mordomos, além de executarem suas tarefas específicas no Ritual, são justamente os responsáveis pelo zelo e cuidado com os utensílios, objetos e Bens do Capítulo. Se os mordomos executarem bem a sua função nada faltará ao Capítulo. Observemos que as Jóias dos Oficiais, unidas às Capas e à toda a Cadeia Simbólica do Ritual DeMolay, expressam um complexo simbólico que deve ser analisado sempre de maneira metódica, de sorte que possamos depreender os ensinamentos da Ordem.

Hospitaleiro: Possui como Insígnia uma Sacola, representativa dos fundos financeiros o materiais dos DeMolays, sempre colocados ao dispor do auxílio mútuo e dos desamparados pela sorte. O Hospitaleiro é o Emblema da Guarda dos Princípios Sagrados da Fraternidade, onde todos devem estar conscientes de pertencerem a uma "Família Universal". O Hospitaleiro é o responsável pela filantropia do Capítulo, e por manter o Capítulo informado da sorte e saúde de algum Irmão adoentado, por tal motivo ele levará consigo a Sacola do Capítulo, com os Fundos necessários a um possível socorro.

Organista: Possui como Insígnia uma Harpa. Sabemos que a música sempre serviu de instrumento para a harmonização de ambientes onde o Homem buscou a Meditação e compreensão dos Mistérios Sagrados. A Harpa era tocada pelas Sacerdotisas de Avalon, na Corte do Rei Arthur. O significado simbólico da Harpa é o de ponte entre o mundo celeste e a Terra; em sua forma primitiva e incipiente (A Lira Grega), era consagrada ao Deus Apolo; Era o instrumento predileto do Filosófico Platão. Na Tradição grega, simboliza a união harmoniosa das Forças Cósmicas, exatamente o que deve representar e promover o Mestre de Harmonia, em sua função no Templo.

Capelão: Possui como Insígnia o Livro Sagrado, que deve ser aquele onde cada um julgue existir as Verdades pregadas pelos Profetas de sua Fé. Ele é o guardião dos Sagrados Mandamentos, escritos simbolicamente no Livro com suas páginas abertas.

Porta-Estandarte: Possui como Insígnia uma Bandeira ou Estandarte. Como definiu o Soberano Grande Comendador da Maçonaria, Tio/Irmão Venâncio Igrejas, em seu Trabalho sobre a Bandeira do Brasil, publicado no PAINEL DEMOLAY Nº4 de Outubro a Dezembro de 1987, "Os símbolos sempre exerceram uma influência muito grande especialmente as que representam os Países, objeto de uma afeição de natureza Mística, capaz de concorrer para o desenvolvimento do amor à causa que encarnam". O Porta-Bandeira representa pois nosso Amor ativo na causa da Pátria e na causa da Ordem.

Sentinela: Possui como Insígnia duas Espadas cruzadas. Símbolo muito usado na Magia e no Misticismo Medieval, a Espada representa o Espírito ou a Palavra de Deus. A Espada, do ponto de vista esotérico, representa o extermínio físico e a determinação psíquica dentro do caminho cósmico do sacrifício. O simbolismo da Espada está ligado também à idéia da ação da justiça. A Espada na Insígnia do Sentinela, e a utilizada pelo mesmo, antes de serem para afastar intrusos da Porta de nossos Capítulos e Templos, pouco prováveis nos tempos modernos, é antes de tudo um símbolo do sacrifício. Simboliza que haveremos de deixar fora do Templo os sentimentos impuros e/ou menores, para buscarmos a Evolução do nosso "Eu Interior". A duplicidade das Espadas representa a Segunda Espada "Oculta, utilizada quando da realização de nossos Trabalhos, onde o Sentinela funcionará como um pára-raios, impedindo e combatendo inconscientemente as Energias negativas que buscam ingresso no Templo Sagrado.

Mestre de Cerimônias: Possui como Insígnia dois bastões cruzados. O bastão é um atributo de poder, semelhante ao malhete. O poder, neste caso, é de cunho mágico, pois cabe ao Mestre de Cerimônias a coordenação e orientação de todas as procissões previstas no ritual . O mestre de Cerimônias é como o "Pastor" a conduzir as ovelhas, é o Líder Litúrgico de todas as Cerimônias, tendo o duplo bastão significado análogo ao do Duplo Malhete do Mestre Conselheiro. Devido a tal fato o Mestre de Cerimônias é um dos únicos Oficiais que pode cruzar a LINHA IMAGINÁRIA existente entre o Altar e o Mestre Conselheiro, funcionando o Bastão como um "pára-raios" harmonizador das Energias centradas na LINHA IMAGINÁRIA.

Preceptores: Em número de sete, cada preceptor possui como Insígnia a Coroa da Juventude, pois cada Preceptor é o Guardião de uma das Jóias representativas das Sete Virtudes Cardeais da Ordem DeMolay. De acordo com o dicionário Aurélio, Preceptor é aquele que ministra preceitos ou instrução; É pois o Preceptor o Guardião e Ministro da Base Filosófica da Ordem DeMolay, das Virtudes Cardeais que sustentam todo o Edifício da Sabedoria DeMolay. Organista ou Mestre de Harmonia: Possui como Insígnia uma Harpa. Sabemos que a música sempre serviu de instrumento para a harmonização de ambientes onde o Homem buscou a Meditação e compreensão dos Mistérios Sagrados. A Harpa era tocada pelas Sacerdotisas de Avalon, na Corte do Rei Arthur. O significado simbólico da Harpa é o de ponte entre o mundo celeste e a Terra; em sua forma primitiva e incipiente (A Lira Grega), era consagrada ao Deus Apolo; Era o instrumento predileto do Filosófico Platão. Na Tradição grega, simboliza a união harmoniosa das Forças Cósmicas, exatamente o que deve representar e promover o Mestre de Harmonia, em sua função no Templo.

terça-feira, 8 de março de 2011

Deus na Ordem DeMolay

Postado por Neto 16:01 | Nenhum comentário


A exemplo da Maçonaria, a Ordem DeMolay não é uma Religião e nem professa nenhum Credo Religioso. Irineu S. Wilges em seu Livro "Cultura Religiosa" diz ser a Maçonaria uma "Atitude Filosófica". Talvez possamos dizer algo semelhante da Ordem DeMolay. Em seu próprio exemplo a Maçonaria Universal, ao escrever os Rituais da Ordem DeMolay em 1919, colocou, entre as tradicionais "7 Virtudes Cardeais" da Ordem, a Virtude da "Reverência pelas Coisas Sagradas", sendo a Segunda Virtude. Aos Jovens DeMolays é ensinado o respeito a todos os Credos e objetos Sagrados de todas as Religiões, considerando que todas professam determinadas Verdades Eternas, que devem merecer nossa atenção.

Nas Cerimônias de Iniciação e outras, os Jovens DeMolays prestam o seu Juramento sobre o Livro Sagrado da Religião, onde cada um julgue existir as Verdades pregadas pelos Profetas de sua Fé. Assim, o Juramento deve ser prestado sobre o Livro Sagrado da Crença do Iniciado. No Brasil, por sermos um País Cristão de maioria Católica é utilizada a Bíblia Sagrada em todos os Capítulos, inclusive sendo proibida qualquer Reunião DeMolay que não tenha a Bíblia com as suas páginas abertas. Diz a Ordem DeMolay: "... amigo, em nosso Capítulo, não ensinamos nenhum Credo. Vossas opiniões religiosas são sagradas e a vós pertencem, porém encarecidamente, vos pedimos não esquecer a Santidade da Fé, a Beleza da Humilde confiança na Bondade de Deus. Procuremos ser Filhos fiéis do "PAI UNIVERSAL". O Mundo respeita mais a Vontade do Jovem que tem profundas convicções religiosas, e que tem a coragem de viver de acordo com as normas de moral, baseadas na certeza de que todas as Bênçãos deste Mundo provém de Deus...".

Não sendo a Ordem DeMolay uma Religião ou Seita Religiosa, podemos certamente dizer que ela é uma Escola Filosófica e Iniciática para os Jovens, baseadas na Moral Maçônica, em uma Doutrina de Universalidade, União e Fraternidade. Com propriedade, a Maçonaria retirou as Virtudes e preceitos das antigas Ordens de Cavalaria, transmutando-os em um Código de ensinamento para o aperfeiçoamento dos Jovens DeMolays, e engrandecimento da Humanidade. A Ordem DeMolay abomina a ateísmo, proveniente da descrença e ignorância, bem como qualquer deturpação religiosa que venha a degradar espiritualmente o Ser Humano e/ou torná-lo escravo em seu próprio Mundo, através do Fanatismo.

Um Jovem que desejar ingresso na Ordem DeMolay não poderá ser Ateu, antes de tudo deverá Crer na existência de um Ser Supremo. Comumente os Jovens DeMolays referem-se a Deus como "PAI CELESTIAL", sendo este um costume tão antigo quanto a origem da Ordem, mantido em todos os Capítulos do Mundo, e de profundo significado Iniciático. "Lembremo-nos das deformações dos antiqüíssimos conceitos religiosos - escreve Max Muller - e nos defrontaremos com constatações surpreendentes. O Deus Supremo recebeu o mesmo nome, quer na Mitologia Indiana, quer na Helênica, Itálica, e Germânica: foi Dyaus em Sânscrito, Zeus em grego, Júpiter em Latim, Tiu (Wotan?) em germânico. Milhares de anos antes do tempo dos Vedas e de Homero, os progenitores de toda a raça Ariana adoravam um Ser Indivisível, com um mesmo nome: O da Luz e do Céu... A palavra Dyaus não indicava simplesmente o Céu personificado; nos Vedas encontramos "Dyaus Pater", em grego "Zeus Pater", em latim "Júpitar"(depois Júpiter) todas expressões que derivam daquele usada antes das três línguas - como anota Churchward - fossem separadas, quando estas palavras significavam "PAI CELESTIAL", ou "PAI DO CÉU", denominação hoje usada pela Ordem DeMolay quando se refere a Deus - O Criador e Arquiteto do Universo.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Poesia para Jacques DeMolay

Postado por Neto 21:02 | 1 comentário


Oh, Grande mártir, Jaques Demolay
Seu nome é símbolo de valor
Não fora a marcha negra da igreja
Talvez hoje não te daríamos louvor

Não reverencio os que te mataram
Mas seu suplício não foi vão
Pois temos seus elevados ideais escritos:
No sangue, passado no coração.

Oh, Jacques. Fina flor da cavalaria
Fostes suprimidos na vil inquisição
A igreja que era só tirania
Hoje se rende, e pede perdão.

Sem dúvida, meu bom herói
Não queiras ser melhor que deus
Más a inveja que a tudo corrói
Fez o rei suplicar os seus.
 
Suas idéias lindas, más outros eram cegos
Puseram-te contrário às ordens Bíblicas
Ora “Idéias não se extinguem por decretos
Ainda que se chamem bulas ou encíclicas.”

Não pretendo te santificar
Mas deixar guardado na memória
A lembrança de um cavaleiro se par
Que nunca te esqueça a história.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Curiosidades: Priorado

Postado por Neto 13:50 | Nenhum comentário

Priorado é a designação que recebe qualquer mosteiro dirigido por um prior, ainda que o termo seja utilizado também pelos Dominicanos, Agostinhos eremitas, Cartuxos, Carmelitas e Servitas para designar as suas abadias. Existe ainda a separação entre priorados conventuais e priorados simples ou de obediência, de acordo com a classificação, por exemplo, das Ordens Militares (p. ex. Os Templários). Os primeiros consistem em mosteiros não governados por abade por não incluirem os doze monges necessários para o estatuto de abadia ou por outras razões. Os priorados simples estão dependentes de uma abadia e estão sujeitos à autoridade do seu abade.

Pesquisando pela Internet, encontramos a seguintes definições para "Priorado": Cargo do pároco ou superior de convento ou ordens monásticas e/ou Dignatário, nas antigas ordens militares.

MAÇONARIA


GRANDE PRIORADO DO BRASIL – GRANDE PRIORADO DAS ORDENS UNIDAS – RELIGIOSAS MILITARES E MAÇÔNICAS – DO TEMPLO E DE SÃO JOÃO DE JERUSALÉM, PALESTINA, RODES E MALTA DO BRASIL.

Essa Ordem é dividida em dois graus, por assim dizer. Os Cavaleiros Templários e os Cavaleiros de Malta. Ambas são dirigidas pelo Grande Priorado do Brasil – GOB. Para ter ingresso e ser Instalado (armado) nessa Ordem é necessário você ter sido Exaltado como Companheiro no Arco Real e professar a fé na Santíssima Trindade. Temos notícias que em 1791 houve a união de sete acampamentos independentes, foi realizado o primeiro Conclave da ordem, como a conhecemos hoje. As assembléias onde os Cavaleiros Templários se reúnem são conhecidas como Preceptórios e quem a dirige é o Preceptor. As assembléias de Cavaleiros de Malta são conhecidas como Priorado e quem a dirige é o Prior. A Cerimônia é realizada num Templo que representa uma capela.

A estrutura e qualificação dos Cavaleiros Templários são assim:

• Eminente Preceptor;
• Capelão;
• Primeiro Guardião;
• Segundo Guardião;
• Tesoureiro;
• Escrivão;
• Marechal;
• Esmoler;
• Principal Arauto;
• Segundo Arauto;
• Capitão da Guarda;
• Primeiro Porta Estandarte;
• Capitão da Guarda e
• Guarda.

CAVALARIA
PARECER SOBRE AS NOMENCLATURAS IMPRECISAS DA ORDEM SAGRADA DOS SOLDADOS COMPANHEIROS DE JACQUES DEMOLAY

1) A tradução adequada de “Priory” é “PRIORADO” (tendo em vista o conceito histórico; e a opção escolhida pelo autor do ritual original, em se referir a um “priorado de cavaleiros” e não a um “convento de cavaleiros”);

2) A tradução adequada de “Commander” é “COMANDANTE” (tendo em vista o contexto histórico e a tradução feita em Língua Portuguesa – Galego-português, no século XIII). Cada Priorado de Cavaleiros da Ordem DeMolay deve ser liderado por três comendadores: Ilustre Comandante Cavaleiro, Comandante Escudeiro e Comandante Pajem;


3) As traduções atuais dos demais cargos dos graus da Ordem da Cavalaria DeMolay podem permanecer como estão, ou, antes de modificados devem ser examinados dentro de um contexto histórico por alguém tecnicamente capacitado.



Fonte: http://paulodemolay.blogspot.com/ e Supremo Conselho, Revista Universo Maçônico e Pesquisas On Line.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

De Joelhos, eu Juro

Postado por Neto 11:41 | Nenhum comentário


Hoje, me lembrei daquele dia
Que, de joelhos, eu jurava
Não sabia para quem; não sabia por quem.
Um tal de “demolê”, ele gritava

Olhava ao redor: não via o medo de fracassar
Olhava ao redor: mitos e lendas a me fitar
Eles também de joelhos juraram.
E também de joelhos morreram
Morreram para deixar sonhos vivos.
Será mesmo que morreram?

Naquele dia, predominava somente a escuridão
Toques, badaladas e palmas como a batida do coração
Foi então que acenderam 7 velas.
“Sete Baluartes” dizia ele
Para mim, apenas VELAS, SEBO.
“Acorda galera, não vê o que vejo?”

É! Realmente não viam, eu que o digo
Hoje, falo aos iniciados: “vamos ficar ligado, porque num é brinquedo, não
Aqui vocês ganharam mais que amigos
Por aquelas velas, eu te digo, vocês ganharam Irmãos”

Da 1ª, eu nasci;
Da 4ª, eu viverei;
Pela 7ª, morrerei
Mas naquele dia, algo me dizia
Que DeMolay eu seria;
DeMolay eu serei

“Diferente para mostrar que somos todos iguais”
De joelhos, eu juro
Juro por você, mas você nem sabe.
Saber pra quê?
Ética DeMolay

A Maçonaria nos coroa com uma joia: seu abraço
Entre suas colunas, construímos nossa moradia
Vejam só o que faço: hoje defendo algo que eu nem sabia que existia
Mas de fato, o faço

Covardia! É isso que pessoas fazem depois que apunhalam outras pelas costas
Sem saber de seus Baluartes e de sua História
Todos de Preto: é o luto pela Covardia
Todos de Vermelho: é o preço pela Valentia
Todos de Branco: é a busca – incansável – pela Paz

Segredos? ...Não...
Símbolos tentam, mas não explicam. Cabe a nós sermos compatíveis
Segredos? ...Sim...
Afinal, todos temos.
Mas não se preocupe: as espadas são visíveis

O tempo vai passando.
O que pude fazer, eu tentei
Errei, é verdade, mas tentei
E continuarei errando e tentando
Mas, até hoje, desses erros eu fujo
Até hoje, meus Irmãos, não tem explicação:
DE JOELHOS, EU JURO


Por Gills Lopes

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Estilo DeMolay de Viver

Postado por Neto 10:22 | Nenhum comentário


DeMolay, não é algo implícito ou imposto quando somos iniciados a fileiras de um Capitulo, mas aos poucos percebemos que antes de pensar em uma ação, nos lembramos "de qual impacto isso causará ao meu Capítulo, e como seremos visto pelos nossos pares".

Às vezes se torna um paradigma de quão importante é a visão de liderança que a Ordem DeMolay nos transmite, quando somos integrados as colunas de um Capítulo, vemos como o Mestre Conselheiro conduz os trabalhos, introduzimos em nossas metas enquanto DeMolay, a vontade de sentar-se no Oriente, e fazer mais por nossa causa. E isso não pode demorar muito, pois temos outras metas de vida, e para um momento ideal, um objetivo deve ser atingido de cada vez, para que a satisfação seja de um trabalho “bem feito”.

Enfatizo também o ciclo de amizades DeMolay que é formado através da afinidade, quão inexplicável, pessoas que você mal conhecia que às vezes nunca tinha visto na vida, se torna em alguns minutos “irmãos”, amigos de infância e “cúmplices de segredos”. Em todo circulo de amizades nos identificamos com aqueles que tenham as mesmas formas de pensa e agir, que as nossas. A Ordem DeMolay solidifica estes laços que se tornam eternos. Assim como em uma família, o DeMolay insere-se num contexto em que valores como “união”, “respeito”, “fidelidade”, “poder” e “amor”, permanecem agregados em nossos corações a todo o momento, e os levamos, para faculdade, trabalho e para sociedade.

Falando em sociedade, lembramos do nosso compromisso para com os necessitados e as escolas públicas, o preceito de “solidariedade” se transforma em uma constante em nossa rotina diária. Retornamos ao tema: “Filosofia de Vida DeMolay”, poderia resumi-la as virtudes que regem as nossas reuniões e que em forma de sete luzes sagradas, brilham no interior de cada DeMolay dentro e fora dos seus Capítulos. “Amor Filial, Reverência pelas Coisas Sagradas, Cortesia, Companheirismo, Fidelidade, Pureza e Patriotismo”.

Sete guias perfeitos para nossa alma, sete jeitos de viver, sete maneiras de ver o mundo ou de mudá-lo, isso já depende de cada um.

Fonte: http://demolayhojesempre.blogspot.com/



quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Supremo Conselho Internacional & DeMolay International

Postado por Neto 01:01 | Nenhum comentário

Quando a Ordem DeMolay começou, ela se expandiu tão rapidamente que "Dad" Frank Land percebeu a necessidade de criar um órgão para supervisionar a Ordem. O Grande Conselho da Ordem DeMolay foi organizado para fiscalizar as políticas e atividades de todos os Capítulos, e para assegurar a coerência e funcionamento em todo o país.
Emblema SCI

Quando a Ordem DeMolay expandiu para além das fronteiras dos Estados Unidos da América, o Grande Conselho foi renomeado como "Supremo Conselho Internacional" (SCI). Hoje, o SCI continua a servir como o órgão executivo do DeMolay International. Um Grande Mestre e outros quatro Diretores são eleitos para a liderança do DeMolay International através do SCI. Além disso, o SCI é a autoridade sobre todas as questões relativas aos Capítulos, Conselhos Consultivos, membros, finanças, rituais, conflitos, queixas e recursos. 


Emblema DI
Qualquer alteração no Estatuto da Ordem DeMolay deve ser considerado e aprovado pelo Supremo Conselho Internacional ou pelo “Board” (Conselho de Administração da Ordem DeMolay). O Board consiste no seguinte: 08 Representantes de Região (01 de cada uma das 08 Regiões DeMolay), o Grande Mestre, o Grande Primeiro Conselheiro, o Grande Segundo Conselheiro, o Grande Secretário, o Grande Tesoureiro, um representante escolhido pela Conferência dos Oficiais Executivos, e 02 membros da Classe 6 do DeMolay International. O Grande-Mestre é o Presidente do Board. O Grande Primeiro Conselheiro é o vice-presidente. O Grande Secretário é o Secretário do Board. O Board reúne-se durante os últimos três meses do ano civil em um momento e lugar escolhido pelo Grande-Mestre. Outras reuniões podem ser convocadas pelo Grande Mestre. O Board administra todas as transações de negócios da Ordem, exceto matérias reservadas no regimento interno ou as normas e regulamentos. 

Emblema Congresso Internacional

Além do Supremo Conselho Internacional, como um meio para a liderança adulta do DeMolay International conhecer e discutir o futuro da Ordem DeMolay, o Congresso DeMolay Internacional foi criado para dar aos DeMolays Ativos a oportunidade de se reunirem a nível internacional. O primeiro Congresso foi realizado em 1967 e o Congresso continua a cumprir e a desempenhar um papel essencial na tomada de decisões que impacta o futuro da Ordem DeMolay Internacional. O Congresso é composto por 02 delegados DeMolays Ativos de cada jurisdição e que são selecionados pelo Oficial Executivo (geralmente o Mestre Conselheiro Estadual e o Secretário do Congresso Estadual). O objetivo do Congresso é duplo: (1) para atuar como um fórum educacional para os participantes DeMolays Ativos e fornecer informações sobre as operações do SCI, e (2) para dar aos membros do SCI a chance de ouvir as idéias dos DeMolays Ativos. O Congresso DeMolay é liderado por dois DeMolays Ativos que são eleitos pelos delegados do Congresso a cada ano: Mestre Conselheiro Internacional e Secretário do Congresso Internacional.
Para servir de suporte para Oficiais Executivos, suas jurisdições, Capítulos e seus membros, e manter o crescimento e o desenvolvimento da Ordem DeMolay, O Serviço de Atendimento DeMolay Internacional & Centro de Liderança foi fundado em Kansas City, Missouri. O Centro de Atendimento e Liderança une a equipe profissional e as operações do DeMolay International. Além disso, a sede abriga a loja de produtos DeMolay. É a única fonte autorizada da Ordem DeMolay de jóias, produtos, roupas e materiais promocionais.

Fonte: DeMolay International

Resumo explicativo:
O DI engloba os membros da Ordem DeMolay International (entre eles, 03 brasileiros e membros de todos os demais países onde existe a Ordem DeMolay), divididos em Classes. Esses membros se reunem no Congresso Internacional e elegem os Diretores do SCI: Grande Mestre, Grande 1º Conselheiro, Grande 2º Conselheiro, Grande Secretário e Grande Tesoureiro. O SCI cuida dos Capítulos, Conselhos Consultivos, Oficiais Executivos e Rituais. O SCI também dirige o Board (Conselho Administrativo) do DI. Já o DI cuida da parte administrativa, registros, nome, marca, contratos e comercialização dos produtos oficiais da Ordem DeMolay. E dentro do Congresso Internacional do DI ocorre a Sessão Anual do SCI.
Tudo isso existe para melhor atender os interesses da Ordem DeMolay e as exigências legais dos EUA, onde a sede do DI/SCI se localiza.
 
Fonte: http://www.virtudecardeal.blogspot.com/